Notícia (convenientemente) ignorada

Fonte: Observatório da Imprensa (link da notícia: http://www.observatoriodaimprensa.com.br/artigos.asp?cod=512JDB010)

Notícia (convenientemente) ignorada

Por Alberto Dines em 24/11/2008

Comentário para o programa radiofônico do OI, 24/11/2008

http://www.observatoriodaimprensa.com.br/images/transp.gif

Enquanto o governo e a grande imprensa continuam desinteressados em divulgar os termos do acordo entre o Brasil e o Vaticano, uma notícia de primeira página na edição de domingo (23/11) do importante diário espanhol El País mostra o quanto nossa democracia é claudicante em matéria de laicismo [ver, em espanhol, “Los ateos se hacen fuertes” e “Los símbolos religiosos salen también de las aulas“].

Pela primeira vez na história espanhola, um juiz obrigou uma escola pública a retirar todos os símbolos religiosos, inclusive crucifixos, das paredes. Aconteceu em Valladolid: a ação foi iniciada por pais de alunos, que há três anos apelaram à direção da escola para a retirada dos símbolos religiosos. Em sessão secreta a direção da escola negou o pedido.

Com base em sentença do Tribunal Constitucional (que equivale ao nosso Supremo Tribunal Federal), o juiz declarou que a presença de elementos religiosos – de qualquer confissão – torna vulneráveis os direitos fundamentais de liberdade e igualdade religiosa e põe em risco a neutralidade e o laicismo previstos na Constituição do país.

Sentença inédita

Convém lembrar que a Espanha sempre foi um dos maiores baluartes da igreja católica e, no entanto, a partir da morte do ditador Francisco Franco (1892-1975) e da redemocratização, incorporou todos os princípios que regem as modernas democracias. A adoção da escola laica, a reforma da lei de liberdade religiosa e ampliação da lei do aborto fazem parte da plataforma do Partido Socialista no poder desde 2004, que o coloca em conflito permanente com a Conferência Episcopal Espanhola (equivalente da nossa CNBB).

O único ponto onde não há atritos entre o governo e a igreja está na questão dos subsídios. A crise econômica fez com que as verbas para instituições católicas tenham sido aumentados em 34%. Este subsídio sai da receita do Imposto de Renda de cidadãos espanhóis que expressem este desejo.

A notícia sobre a inédita sentença do tribunal espanhol contra os símbolos religiosos em escolas públicas não foi publicada na imprensa brasileira.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s