Na #ADCom…

Recebemos, na #ADCom, o deputado federal Luiz Philippe de Orléans e Bragança e o ex-secretário-adjunto de Desenvolvimento Social, Henrique Almirates, com quem tivemos uma reunião produtiva, rica em conteúdo, cultura e ações práticas.

Anúncios

MANIFESTAÇÃO NO PRÓXIMO DOMINGO!

Desde o ano passado, ainda antes do pleito eleitoral, quando eu era questionado sobre como, numa vitória de #Bolsonaro, ele iria lidar com o Congresso, respondia de forma simples: em algum embate mais forte, ele sempre terá o povo a seu lado. Ou seja, iremos todos à rua novamente!!!

E é isso que ocorrerá neste próximo domingo, 26 de maio.

Simples assim.

Este governo não é só de Bolsonaro. É de todos os brasileiros de bem que desejam um país melhor já e para as futuras gerações.

Ele tem de trabalhar e entregar. Ponto. E nós devemos apoiar e lutar para que isto ocorra.

E chega de picuinhas, de diz que diz… o #Brasil e os #brasileiros têm muita pressa!

Todos somos responsáveis. Os parlamentares devem sentir a pressão e a real vontade do povo!

Como dizia Marin Luther King: “O que me preocupa não é nem o grito dos corruptos, dos violentos, dos desonestos, dos sem caráter, dos sem ética… O que me preocupa é o silêncio dos bons!”

#Dia26EuVou

Tiririca, o fenômeno. Comunicação certa e eficaz!

Assunto em todos os veículos de comunicação – do Brasil e do exterior – Tiririca hoje é um fenômeno (gostemos ou não, quanto a isso não há o que discutir pois é fato!). Este post tem o objetivo de visualizar, rapidamente, a comunicação que o fez ser eleito com mais de 1,3 milhões de votos.

A fórmula é antiga e, à primeira vista, simples: EMISSOR – MENSAGEM – RECEPTOR. Ou seja, devemos, ao comunicar algo, saber para quem é direcionada e, portanto, formatar a mensagem para que seja bem absorvida pelo público receptor. Embora à primeira vista simples, os erros nesta questão são inúmeros. Um dos equívocos mais comuns é não se saber quem é o público de interesse e, consequentemente, errar no conteúdo da mensagem.

No caso de Tiririca, independentemente de todas as opiniões e pensando especificamente no aspecto comunicacional, devemos analisar o fato como um sucesso estrondoso de comunicação eficiente e eficaz onde, com foco no público-alvo, a mensagem foi construída de forma inteligente e com criatividade.

Começando do primeiro dia em que foi gravar o programa, quando Tiririca, ou Francisco Everardo Oliveira Silva (seu nome), foi de terno e gravata e sem peruca e o marqueteiro decretou: “você não vai gravar assim: coloque suas roupas do personagem Tiririca. Afinal, você é um personagem e tem uma mensagem a passar para o nosso público-alvo. Ninguém conhece o Francisco Everardo, mas, sim, o Tiririca”. Na mosca! Acertadíssimo!! Se não fosse assim, certamente passaria batido como mais um que pleteia uma vaga na Câmara dos Deputados.

Se ele sabe ler? Ainda não temos certeza. Mas a minha opinião é que sabe sim e todo o “fuzuê” criado nas recentes duas semanas a respeito foi para que ele conquistasse ainda mais mídia espontânea e tivesse seu nome ligado ao “público menos favorecido, alvo de preconceito”, o que reforçou, certamente, esta quantidade enorme de votos.

Um detalhe importante: embora somente agora, há pouco mais de um mês, todo este movimento tenha vindo à tona, a construção desta estratégia veio aos poucos, há muito tempo, com paciência, inteligência e criatividade.

Sempre digo e repito: a comunicação é como um prédio: tem de ser construída, ter alicerces fortes e todo o projeto já determinado para o público que deseja atingir, moldando, consequentemente, a mensagem.

Se é uma vergonha ou não o termos como representante no Congresso Nacional, esta análise é de cada um e só o tempo revelará. Mas uma coisa todos temos de concordar (e, frente a números, não tem como ser diferente): Tiririca e seus comunicadores são muito eficientes e eficazes na arte de comunicar e encantar seu público-alvo.

Abaixo, alguns dos vídeos do programa eleitoral de Tiririca:

Mais sobre comunicação:  http://www.adcompress.com.br