Microsoft lança rede social

windowslive

Após ter desativado o Web Messenger, a Microsoft lançou uma rede social chamada Windows Live Planet. Baseada na identificação do Windows Live, a nova rede permite conversas online com seus contatos no MSN, além das outras ferramentas padrões das comunidades. Para se conectar na rede, você pode usar seu email já existente do MSN, Hotmail ou Windows Live, ou fazer um cadastro com outro email. Link: http://wlplanet.com/

Ainda sobre o Twitter… que, agora, conquista a TV também!

Fonte: jornal Folha de S. Paulo

Fenômeno da internet, Twitter conquista a TV

Apresentadores brasileiros usam o microblog para se aproximar da audiência 

Oprah Winfrey ajudou a alavancar popularidade do site que agora é usado pelas TVs para expandir conteúdo e dialogar com o público 

O apresentador da MTV Marcos Mion queria poder ter mandado um recado para Sílvio Santos falar na TV, ao vivo, nos anos 1980. Não poderia, já que naquela época não havia twitter, sistema de troca de mensagens supercurtas que cresceu dez vezes em um ano.
E quem imagina Silvio e seu microfone na lapela usando o microblog? A “missão” ficou a cargo de sua filha Patrícia Abravanel que usa o Twitter para cutucar a concorrência ou falar sobre a novela “Véu de Noiva”.
A lista de personalidades da TV brasileira que aderiu ao Twitter é variada. Também estão lá a superpop Luciana Gimenez e o tradicional “Roda Viva”. Assim como o “Descarga”, de Mion, que exibe mensagens enviadas pelo site.
“Sempre me mandam coisas engraçadas”, diz Mion. Ele considera o serviço uma forma de fidelizar a audiência. “Imagina, quando eu era moleque, ouvir o Sílvio falar: “olha o que o Mion mandou”. Agora eles [público] podem”.
“É a TV multiplataforma. Eu acompanhei a final da NBA [há duas semanas] pela televisão e vi os comentários do Shaquille O’Neal pelo Twitter. Você tem ideia do que é isso?”, conta.
O astro do basquete é uma das pessoas mais seguidas no serviço. Entre os brasileiros, as contas pessoais dos apresentadores do “CQC”, o perfil do “Fantástico”, o técnico do Corinthians Mano Menezes e Marcos Mion estão entre os mais populares.
Luciano Huck entrou há 20 dias e já está nesse rol. Ele, que nunca teve “MySpace, Orkut, nem nada” acha o Twitter eficiente, mas minimiza o retorno em audiência proporcionado pelo microblog -e nem pretende misturar as coisas.
“O legal é falar como pessoa física, dar links de músicas, dicas”, diz. No entanto, ele já falou sobre os bastidores de seu programa no site.

Século 21
Foi uma megacelebridade da televisão norte-americana a responsável por fazer o Twitter deixar de ser um site adotado por usuários intensivos de internet e se tornar conhecido por pessoas comuns. Em abril, a apresentadora Oprah Winfrey disse “se sentir no século 21” por adotar o site.
No dia seguinte, 37% de todos os acessos era de novos visitantes, de acordo com a empresa de pesquisa Hitwise.
Antes da entrada de Oprah no Twitter, o “Roda Viva” já experimentava o recurso. “Usar essas ferramentas interativas no “Roda” é uma forma de dialogar com uma audiência muito importante para a “Cultura”, os jovens”, diz Ricardo Mucci, coordenador de novas mídias da emissora.
O programa de entrevistas já convidou twitteiros -como são chamadas as pessoas que mandam mensagens pelo serviço- para participar da gravação do programa. “Eles falam sobre o clima da gravação, sobre as reações do entrevistado.”
“É uma forma de atrair e tornar fiel uma audiência nova para o programa. Eles também conseguem assistir ao vivo pela internet e até mandar perguntas pela página do “Roda”, diz.

Murdoch: “o jornal do futuro será lido em uma tela”

murdoch

Aos 78 anos, Rupert Murdoch (foto) mostra que de tradicional não tem nada. Presidente do grupo News Corp., o executivo acredita que todos os jornais impressos serão digitais em 10 ou 15 anos. A afirmação foi feita nesta quinta-feira (28), durante uma entrevista ao canal Fox Business Network. Segundo infomações da AFP, com a crise e queda mundial do formato impresso, as publicações serão obrigadas a cobrar por seu conteúdo online ou não vão sobreviver.

O magnata prevê que esse novo formato de consumo de mídia ficará pronto em breve. “Este novo jornal eletrônico deverá estar pronto dentro de dois ou três anos, mas levará 10 ou 15 anos para que o público se acostume a ele. O jornal do futuro será lido em uma tela, atualizada a cada uma ou duas horas.” O presidente da News Corp. também anunciou medidas para cobrar as edições internet dos jornais. “O leitor terá de pagar para ter acesso a seu jornal favorito”, declarou. A News Corp. é proprietária dos jornais americanos Wall Street Journal e New York Post, os jornais ingleses Times e Sun e, também do The Australian, entre outros. Murdoch também afirmou que as melhores companhias eletrônicas do mundo já estão trabalhando para desenvolver esse modelo e dar continuidade ao projeto. 

Fonte Adnews

ANATEL define cobrança de ponto adicional em TV por assinatura

Agência aprovou alterações no Regulamento de Proteção e Defesa dos Direitos dos Assinantes dos Serviços de TV por Assinatura

tvporassinatura

Está oficializado: as operadoras de TV por assinatura no Brasil não podem mais cobrar mensalidade por ponto-extra, somente para a instalação e solicitação de reparos na rede interna. A decisão teve o objetivo de esclarecer aspectos relacionados ao ponto adicional, garantir proteção aos direitos dos assinantes e preservar a integridade e a qualidade das redes de TV por assinatura.

Tal controvérsia arrastava-se desde junho de 2008, quando as operadoras entraram com ação cautelar contra a ANATEL garantindo a continuidade da cobrança até que a questão fosse resolvida de forma definitiva. “Tamanha polêmica fez com que o próprio órgão submetesse o texto a novas consultas públicas sobre o assunto e prorrogasse os prazos – por ela mesma definidos – para análise e definição acerca da questão”, revela o advogado Alexandre Millan.

Um grupo de engenheiros da agência foi nomeado para realizar um levantamento sobre os custos dos pontos adicionais para as empresas do setor, já que era esse o principal argumento alegado para que os pontos continuassem sendo cobrados. A decisão final foi tomada após a análise destes profissionais.

Dr. Millan afirma que, independente da deliberação final da ANATEL, só há uma maneira de as disposições contidas no regulamento serem cabalmente cumpridas. “É necessária uma política eficaz de fiscalização, coibição e repressão de abusos por parte da própria Agência, inclusive por meio da imposição de multas e demais penalidades, pois, caso contrário, as operadoras continuarão utilizando subterfúgios para manterem a cobrança, penalizando o consumidor”, finaliza o advogado.

Temos de divulgar um feito desses… Brasileiros vão ao Chile para tentar entrar no mapa do rúgbi

Esta informação deve ser divulgada pois é um motivo de orgulho para o Brasil.

Fonte: portal UOL

No país do futebol, o rúgbi é pouco divulgado, apesar de mover multidões em outros países, como a Argentina. Aqui, entretanto, é essencialmente amador e constantemente confundido com o similar norte-americano. Quem pratica esse esporte no Brasil tem que pagar para jogar. Mas, no próximo sábado, tudo pode começar a mudar.
A seleção brasileira de rúgbi treina desde janeiro para um único jogo – contra o Chile, em Viña del Mar, pelas eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo de 2011. Mais do que a classificação, está em jogo a esperança brasileira de entrar na primeira divisão mundial da modalidade, o que significaria receber uma verba dez vezes maior da IRB (International Rugby Board), entidade máxima do esporte. Além disso, o Brasil pode quebrar o tabu de nunca ter vencido os chilenos em 70 anos de tentativas.

Além do Chile, a Argentina também nunca perdeu para os brasileiros. Os “hermanos” ocupam a quinta posição no ranking e estão garantidos no Mundial. Os uruguaios estão em 20º, e os chilenos em 24º. O Brasil, em 27º, pode alcançar o top 25 com uma única vitória contra o Chile.

Quem fez as contas foi o francês Pierre Paparemborde, filho de Robert, que fez história no rugby do seu país. Pierre chegou no Brasil há quatro anos e assumiu a missão de desenvolver o esporte. Ele lembra que o potencial brasileiro é reconhecido internacionalmente, mas a estrutura por aqui ainda é bem precária e a parte técnica deixa a desejar.

Pierre explica que o Brasil está no limite que separa o amadorismo do profissionalismo. “Todas as seleções do top 20 do ranking são consideradas de padrão profissional”, explica o francês, lembrando que os 25 primeiros da lista, que tem 95 países, já são considerados parte da elite do esporte. O Brasil saltou da 45ª para a 27ª posição nos últimos três anos – o último avanço veio com a inédita vitória contra o Paraguai, no ano passado.

Assim, os paraguaios foram eliminados da disputa por uma vaga na Copa, que agora está entre Brasil, Chile e Uruguai. Os brasileiros se classificam se vencerem os dois próximos jogos contra os rivais. Uma tarefa quase impossível, segundo o próprio treinador. “O Brasil é como a Costa Rica tentando ganhar da seleção brasileira no futebol. Mas há sempre uma chance”, avalia Pierre, que está focado mesmo é na vaga para o Mundial de 2015.
O grande objetivo da seleção nessas eliminatórias é uma vitória contra o Chile. Já bastaria para que o Brasil entrasse na elite. Assim, a verba da federação internacional, que atualmente é de US$ 50 mil por ano, aumentaria para US$ 500 mil. Um grande incentivo para os praticantes, que bancam a maior parte dos custos dos treinamentos da seleção brasileira.

Segundo o treinador, a preparação para a competição sul-americana custou R$ 250 mil. Deste valor, R$ 130 mil saiu do bolso dos jogadores. A Associação Brasileira de Rúgbi entrou com R$ 70 mil, e o recém-criado Grupo de Apoio ao Rúgbi Brasileiro contribuiu com R$ 50 mil. As passagens aéreas para os compromissos no exterior são pagas pela federação internacional.

O valor para cobrir esses custos poderia vir a partir do ano que vem, com uma simples vitória sobre o Chile, contabiliza Pierre. Ganhar do Uruguai, no entanto, é muito pouco provável. Mas, para os jogadores, somente entrar em campo já é uma satisfação – afinal, pagaram para isso. Capitão da seleção, Ramiro Mina, de 35 anos, não reclama: “A base do grupo é muito unida, estamos juntos quatro vezes por semana, todo mundo na amizade, treinando forte desde janeiro”.

Com 13 anos de seleção brasileira e 20 de rúgbi, Ramiro ganha a vida como empresário do ramo de segurança, e começou no esporte por influência de seu irmão mais velho. Antes, ele jogava tênis, mas a maioria dos jogadores veio do handebol ou do próprio futebol. “Quando se descobre o rúgbi, não tem como largar”, comenta Ramiro, que já não tem esperanças de se profissionalizar.

“Isso vai ficar para os mais novos”, diz o capitão. “Eles teriam que partir para a Argentina, porque lá tem muitos olheiros. Os times de lá também são amadores, mas têm apoio, e o jogador não paga nada para jogar. O caminho é ser descoberto por um olheiro e ir para a Europa”, explica Ramiro.

A seleção brasileira de rúgbi está concentrada em São José dos Campos, sede do clube campeão brasileiro da modalidade. O time embarca para o Chile nesta quinta-feira, e a menos importante das metas é conseguir se classificar para o Mundial. “Nosso projeto é se preparar para 2015”, afirma Pierre, lembrando que a competição é a mais importante da modalidade e a terceira de maior audiência – perde apenas para a Copa do Mundo de Futebol e para as Olimpíadas.

Bom e moderno uso da comunicação: twitter é meio de busca por emprego e de “networking”

Fonte: jornal Folha de S. Paulo deste domingo, 19 de abril…

Profissionais de comunicação usam microblogs para avisar sobre vagas

twitter_bird

Blogs e redes sociais -como o site de relacionamentos LinkedIn- já há algum tempo são encarados por profissionais de diversas áreas como meios para dividir experiências, fazer “networking”, buscar referências e até encontrar emprego.
Agora, a bola da vez é o Twitter, site de microblogs que ganha atenção no Brasil e entrou para o rol de instrumentos de comunicação utilizados para fins profissionais.
A ferramenta é usada principalmente entre os atuantes em comunicação e tecnologia da informação. Uma olhada nos buscadores de “tweets” (posts do Twitter) mostra avisos de oportunidades para designers, programadores e publicitários.
A eficácia da rede foi testada pelo analista de mídia social Adriano Trotta, 29. Ao saber que seria despedido, lembrou-se de ter visto um anúncio de vaga em um Twitter que costumava seguir.
Procurou o “twitteiro” (autor dos microposts), um diretor de empresa de comunicação, mandou currículo, passou por entrevistas e foi contratado.
“Nem cheguei a me cadastrar em sites de emprego. Vi [o Twitter] como um canal, uma facilidade de comunicação.”

“Networking”
O publicitário Guilherme Cury, 21, divulga vagas de que fica sabendo em seu Twitter, que conta com quase 800 seguidores. Também faz do microblog uma ferramenta de “networking”, falando sobre suas atividades profissionais e temas de interesse.
Ele diz prestar atenção na imagem que construiu. “”É preciso se preocupar com o que se fala”, diz Cury, que também já conseguiu trabalhos pelo Twitter, além de ajudar outras pessoas a conquistá-los.
O Twitter também virou opção para quem tem dificuldade em encontrar um funcionário pelos meios tradicionais.
Depois de colocar cartazes em faculdades e consultar conhecidos, sem sucesso, Gabriela Bianco, gerente de relacionamento da agência Dudinka Social Media, anunciou uma vaga para estagiário no microblog.
Como tinha muitos seguidores (hoje são cerca de 900), a oferta se espalhou. “O Twitter amplifica a mensagem. E tem o “retweet” [quando outros “twitteiros” repassam a mensagem de alguém]”, observa.
Ao receber uma indicação, Bianco verificou o Twitter da candidata. “A função envolvia escrita”, diz. Antes de contratar, seguiu o processo tradicional: a entrevista em pessoa.

Lei antitelemarketing devolve privacidade ao consumidor

 

Fonte: IDG Now.
 
São Paulo – Diretor do Procon-SP explica o que as pessoas ganham e perdem e o que fazer para não receber mais ligações indesejadas.
A nova lei antitelemarketing que entrou em vigor no começo do mês em São Paulo já conta com mais de 100 mil pessoas cadastradas, segundo dados dos Procon-SP. A legislação permite que as pessoas decidam se querem ou não receber ofertas de empresas por telefone.

Na avaliação de Carlos Coscarelli, diretor do Procon-SP, ela representa uma vitória do consumidor, que vai poder ter de volta sua privacidade. “É devolvido a ele, primeiro, a privacidade, que invadida pelo telemarketing a qualquer momento”, disse.

Ele explicou que todos os moradores do Estado de São Paulo podem pedir o bloqueio – que é feito pela internet. Quem não tem computador em casa, “pode se dirigir a uma unidade do Procon e pedir para um atendente fazer o cadastro”. “O usuário também recebe uma senha para que ele possa modificar suas informações posteriormente.”

Coscarelli disse ainda que as pessoas têm liberdade em relação à lei e podem pedir para desbloquear o telefone ou então permitir que apenas algumas empresas façam ligações com ofertas. Organizações filantrópicas, porém, não estão impedidas de fazer ligações.

O diretor do Procon não acredita que as empresas de telemarketing terão prejuízo com a lei. “Vai mudar a forma de trabalho. Hoje eles fazem centenas de ligações para fechar um negócio. Agora, eles vão trabalhar com pessoas mais interessadas.”